Afrodescendentes Online

Pergunta:
O candomblé acredita em milagres? Já presenciou algum?



Resposta:
Prezado Francisco, gostaria que pudéssemos começar entendendo o que é "milagre". / / Conforme a estrutura da palavras, quando tratamos de "milagre" queremos identificar determinado fato a que se atribui (alguém atribui) uma causa sobrenatural, para além da natureza conhecida. / / Por esse caráter "sobre-natural", para além da compreensão humana, referimo-nos a "milagres", em geral, no campo das religiões (ou de algumas religiões). / / Alguns "milagres" (fatos desconhecidos) relatados na história da humanidade (geralmente relacionados a alguma religião) são, atualmente, muito bem compreendidos de um ponto de vista científico. / / São exemplos, a combustão (o fogo) os raios e trovões e até mesmo a geração de uma criança na barriga de uma mulher (ou de qualquer ser reprodutor) que, historicamente era um "mistério", e considerado um "milagre". / / Muitas vezes o que se chama "milagre" são acontecimentos ou fenômenos provocados por outros impulsos (que não estão no domínio direto da ciência ou do conhecimento instituído). / / É assim por exemplo com a "motivação", com a "força de vontade", com a "alta-estima" ou "baixa- estima". Esses são "impulsos" que posicionam as pessoas, fazendo com que elas caminhem em tal ou qual direção e que, algumas vezes, em situações (aparentemente) impossíveis de serem transformadas, algo totalmente diferente acontece fazendo com que se exclame que aconteceu um "milagre". / / Dizemos "milagres" para determinados fenômenos que se pode "presenciar" nas Pajelanças (indígenas), em sessões de religiões chamadas "espíritas", como a Umbanda, e mesmo na religião Candomblé, onde por força dos Orixás - cuja magnitude escapa a nosso conhecimento - movimentos e transformações são impulsionadas na saúde, no trabalho, nas relações sociais das pessoas. É nesse sentido que, respondendo à segunda parte de sua pergunta, posso afirmar que "Sim!", já presenciei movimentos importantes em situações concretas de pessoas (que num primeiro momento ou pela avaliação geral - inclusive médica - era de impossível transformação, de impossível solução). ". / / Para finalizar: no conhecimento, nas percepções, considero, como o Barão de Itararé que afirmava: "Há qualquer coisa no ar, além dos aviões de carreira." / / Abraço, Ana