Afrodescendentes Online

Pergunta:
Boa tarde, Entro em contato com o sr. orientador em razão de que tenho dúvidas com relação ao meu futuro, mais especificamente com meu relacionamento amoroso. Gostaria tanto de ter paz e enxergar a luz, o caminho... E força para segui-lo. O que posso fazer para me auxiliar a acalmar a mente, o espírito, e enxergar, através da dúvida e confusão, o que preciso de fato para evoluir no meu caminho? Desde já agradeço a atenção! Daniela.



Resposta:
Daniela, voltando, em resposta a sua consulta, sugiro o livro "A Coragem de Ser", de Paul Tillich. É um livro editado originalmente nos anos 1970, cuja 6ª ed. é de 2001 e que ainda pode ser encontrado na Editora Paz e Terra - http://www.pazeterra.com.br/livro.asp?pp=163 / Há uma versão online que pode ser baixada no endereço http://pt.scribd.com/doc/66311144/Paul-Tillich-A-Coragem-de-Ser / Você precisa se registrar, ou pelo Scribd - que é um site muito interessante, com várias obras importantes - ou com a sua inscrição do Facebook - caso tenha. Sorte, abraço, Ana ///// Prezada Daniela, / Podemos verificar que suas "dúvidas com relação ao ... futuro" são dúvidas conscientes e favoráveis para solução e evidências. Digo isso porque, nesse momento de dúvida, você não ficou sozinha e, mesmo que de modo virtual, está buscando uma conversa que possa ajudar a você a ter as evidências que busca. / Para focar no "especificamente ... relacionamento amoroso", o que podemos dizer é que - como a própria palavra diz - "amoroso" implica em "amor" e em todas as exigências que a palavra traz: cuidado (cuidar, sendo responsável por aquilo que cativamos/conquistamos) respeito compreensão estima dedicação carinho colocar a pessoa para cima, realçando suas qualidades e cooperando para a superação daquelas características que não são tão qualidades assim. / Daniela, diz um pensador que "o caminho se faz caminhando". Não é obrigatoriamente caminhar "para" algum lugar, ou para alguma trajetória. Penso que a característica humana, por excelência é "caminhar", assim como tudo o que está no universo. Nada está parado, tudo está em movimento permanente. Assim, os seres humanos estão sempre em trajetórias de caminhadas. Mas veja que a caminhada precisa receber a nossa atenção e nossa escolha, a cada passo, a cada virada de rua, a cada dia, a cada sucesso (ou insucesso que, porventura possa aparecer). / Quero sugerir que não diga "gostaria tanto de ter paz..." e etc. Diga "eu mereço ter paz"! E procure definir esta "paz" e veja, perceba, sinta se o que você está percebendo como "paz" é algo que está equilibrando você. No momento em que você entende que MERECE tudo de bom MERECE o melhor MERECE alegria e atendimento de sua grandeza de ser humano, você poderá ir dissipando dúvidas e confusões - esses estados de mente que insistem em esconder de nós mesmas o nosso grande valor. / Daniela, você tem outros canais online, em Amai-vos e, se achar que deve, você pode entrar em contato com esses canais. / Por ora, de acordo com o que você mostrou, gostarei de indicar uma leitura que, tenho certeza, muito poderá cooperar para a compreensão de você mesma. É o livro (antigo) de Erich Fromm - O coração do homem: seu gênio para o bem e para o mal. Editora Zahar. Não sei se está sendo comercializado, ainda. Se você puder ler em espanhol, você pode baixar o livro no link http://www.4shared.com/office/s7hUmWk4/Fromm_Erich_-_El_Corazon_del_H.html / Se você tiver costume ou alguém que possa adquirir pela internet, a Estante Virtual tem vários exemplares, onde a diferença de preço acontece em função de o livro estar melhor conservado (ou não). Você pode conferir, clicando no nome livro - http://www.estantevirtual.com.br/q/erich-fromm-o-coracao-do-homem/2 / Veja que não estou indicando uma leitura de "autoajuda". Esta é uma indicação de estudo de psicologia, com linguagem acessível a jovens e adultos/as. É o que estou conseguindo oferecer a você no momento. Desejo trajetórias de descobertas de tudo de BOM que você merece. Ah! E não esqueça de prestar atenção no canto dos pássaros, no sorriso e na algazarra das crianças. Eles fazem isso impulsionando os próprios movimentos. Saudações, Ana