Afrodescendentes Online

Pergunta:
quem é afrodescendente?



Resposta:
Estimado J. Torquato // Sua pergunta (quem é afrodescendente?) vem na mesma direção do que está respondido está em >http://amaivos.uol.com.br/amaivos09/servicos/faq_resposta.asp?cod_pergunta=2014&cod_canal=69<, cuja leitura sugerimos. // Em sintonia com as políticas de Ações Afirmativas no Brasil e no mundo considerando os diversos acordos internacionais dos quais o Brasil também é signatário ("Declaração de Durban" e o "Programa de Ação" que pede a governos para assegurar a integração total de afrodescedentes em todos os aspectos da sociedade.) quando tratamos de "afrodescendente", nos referimos aos descendentes dos povos africanos que foram subjugados pelo escravismo! // SER "AFRODESCENDENTE" OU DESCENDENTE DE AFRICANA/O é uma questão de reflexão "política" conseqüente. // Ser afrodescendente é ter consciência da origem ancestral do Continente Africano, a partir do século XV, especialmente quando tem início o tráfego negreiro [transporte de pessoas para o "novo continente" com a única intenção de exploração de seu conhecimento, de sua força de trabalho, visando o desenvolvimento desse "novo continente", mas também o enriquecimento (mercantilismo) dos intermediários]. // Precisamos ter em mente que "A comunidade internacional já afirmou que o tráfico transatlântico de escravos foi uma tragédia apavorante não apenas por causa das barbáries cometidas, mas pelo desrespeito à humanidade." // Na luta do Movimento Negro, "afrodescendente" tem o sentido de aglutinar, possibilitando uma tomada de atitude política na direção da superação das desigualdades impostas à população negra. // Vale ressaltar que a ONU lançou o ano de 2011 como o "Ano Internacional para Afrodescendentes" e o Secretário Geral, Ban Ki-moon, tem tratado da importância de as Nações Unidas terem lançado (em 10 de dezembro de 2010) o Ano Internacional para Descendentes de Africanos. // Segundo ele, o Ano Internacional tentará fortalecer o compromisso político de erradicar a discriminação a descendentes de africanos. A iniciativa também quer promover o respeito à diversidade e herança culturais. // O Secretário Ban também lembrou que pessoas de origem africana estão entre as que mais sofrem com o racismo, além de ter negados seus direitos básicos à saúde de qualidade e educação. // O historiador guineense Leopoldo Amado, de Cabo Verde, afirma a importância de se conhecer as origens africanas, ao comentar o trabalho feito com quilombolas no Brasil. "Esses novos quilombolas têm efetivamente o objetivo primordial de fortalecer linhas de contato. No fundo restituir-se. Restituir linhas de contatos, restituir aquilo que foi de alguma forma quebrado, aquilo que foi de alguma forma confiscado dos africanos, que é a possibilidade de restabelecer a ligação natural entre aqueles que residem em África, que continuam a residir em África e a dimensão diaspórica deste mesmo resgate. A dimensão diaspórica da África é efetivamente grande", disse. // Para mais fundamentação, vale consultar o texto de José Licínio Backes, "Articulando Raça e Classe: Efeitos para a Construção da Identidade Afrodescendente" - em >http://www.scielo.br/pdf/es/v27n95/a06v2795.pdf< e também >http://www.unmultimedia.org/radio/portuguese/detail/188816.html<, além de outras fontes. /// Continuamos ao dispor, Ana