Afrodescendentes Online

Pergunta:
O Padre da Igreja Católica de N.Sra.da Glória, o padre, Manoel Martins Peres, nesta segunda feira, dando sequência a seus inúmeros atos de manifestação racista, dentre muitos os comentários no microfone ao longo das missas como por exemplo dizer que : "Negro é minoria neste país" , com outras muitos atos de descriminação, mas na noite de ontem foi o pior, após presidir a Missa da festa em homenagem a Nossa Senhora, fui depois de 12 anos participando ativamente da Igreja, como coroinha, e hoje aos 22 anos, coordenador do grupo de jovens, expulso de forma humilhante e preconceituosa, estando proibido de participar de qualquer organização de trabalhos dentro da igreja e de até mesmo, fazer alguma leitura biblíca ao longo das celebrações.Estou também proibido de reunir com o grupo de jovens o qual sou coordenador nas dependências da Igreja. Ele por sua vez suriu-me a reunir com os jovens na praça frente a Igreja e não dentro do salão onde sempre usamos e os outros grupos usam. Durante a conversa onde fomos pedir uma maior coerencia ao ato de nos defamar publicamente por meio do microfone que deveria ser utilizado para evangelizar , pelo contrário, está sendo utilizado para humilhar pessoas, contar segredo apresentado em confissões .Ao tentar eu e outros membros da pastoral conversar com ele após a missa, muitas palavras agressivas jogou na minha direção de forma efetiva, e frizando sempre sobre a questão da minha familia segra, e o fato de ter tido falhas em questão de horários em reuniões passadas, me humilhou, colocando em discrédito minha fé, e o meu valor moral perante a comunidade. Ou seja: FUI EXPULSO POR SER NEGRO E TER MUITO AMOR NO QUE FAÇO, SE EU FOSSE DE OUTRA COR E PASSASSE A ELE OUTRA IMPRESSÃO , COM CERTEZA NÃO ME EXPULSARIA. ELE É PADRE NA IGREJA DE N.SRA.DA GLÓRIA , NO JARDIM SÃO PAULO - PRÓXIMO DE GUAIANÁSES.



Resposta:
Estimado Edcarlos Bispo, /-/ Você, jovem homem negro, com sobrenome alusivo à ordem hierárquica eclesial, com trabalhos dedicados à Igreja Católica de Nossa Senhora da Glória, em São Paulo, nos informa ter constatado o racismo (explícito) do padre Manoel Martins Peres não só na fala ("pregação"), mas também nas atitudes. /-/ Com certeza não podemos e não devemos deixar que falas e atitudes dessa natureza se perpetuem como já há 500 anos vem sofrendo nossa gente nesse País. /-/ Não é sem razão que este é ano marca os 120 anos da abolição e os 60 anos da declaração dos direitos humanos. /-/ De todo modo, o que você relata a respeito do padre, de imediato nos remete a crime de racismo e aos direitos da pessoa humana. /-/ É importante observar que o Brasil tem avançado na proteção às pessoas violentadas por esse tipo de crime e, para a reparação dessa situação do ponto de vista pessoal, você pode procurar o "Núcleo Especializado de Combate à Discriminação, Racismo e Preconceito", da Defensoria Pública de São Paulo, na Avenida Liberdade, 32, 8º andar, São Paulo, capital. Telefones 11-3107-5055 e 11- 3101-0155 - núcleo.discriminacao@dpesp.sp.gov.br - www.defensoria.sp.gov.br. Lá, a Dr.ª Maíra Diniz, Coordenadora do Núcleo, tem condições de encaminhar o problema. /-/ A Comissão de Direitos Humanos da Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo, através do Dr. Sinvaldo Firmo, de "Relações Raciais e Combate ao Racismo", pode igualmente acompanhar o problema. Avenida Pedro Álvares Cabral, 201 - Palácio 9 de Julho - Ibirapuera - 11-3886-6708 Fax: 11-3884-2590 / Site: www.al.sp.gov.br / E-mail: cdh@al.sp.gov.br / SOS Racismo 11-3886-6713. /-/ Ainda em São Paulo, você pode recorrer à Procuradoria do Cidadão - Ministério Público Federal - Núcleo de Combate à Discriminação e Combate à Intolerância. Rua Peixoto Gomide, 768 - Cerqueira César - tel. 11-3269-5000 / www.pgr.mpf.gov.br /-/ Você pode, ainda, fazer um BO - boletim de ocorrência - na Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (DECRADI) - Rua Brigadeiro Tobias, 527 - 3º andar Luz - SP - Tel: 11-3311-3556 / 11-3315-0151 ramal 248, junto à Delegada-Chefe, Dr.ª Adriana e solicitar a abertura de inquérito policial de crime de racismo, constrangimento ilegal e o que mais você for orientado a fazer. /-/ Como dica de caráter geral, no endereço eletrônico http:/-/www.prsp.mpf.gov.br/cidadania/GuiaDh.pdf você pode "baixar" um Guia de Direitos Humanos de São Paulo, com 38 páginas de orientações atualizadas em diferentes segmentos/problemas. /-/ Colaborou para esta resposta, Deise Benedito / Presidente de Fala Preta Organização de Mulheres Negras / Membro do Fórum de Entidades de Direitos Humanos / Membro do Fórum Nacional de Mulheres Negras, a quem muito agradecemos. /-/ Edcarlos, esperamos ter atendido à solicitação. Abraço, Ana