Afrodescendentes Online

Pergunta:
O negro sofre preconceito? Desculpe mas eu sou pardo, com caracteristicas afrodescendentes e não sofro preconceito. É oque eu acho... onde você vê que o negro sofre preconceito e como se destacar ao ponto de ficarmos todos iguais aos brancos? Nossa descendencia de negros faz com que sejamos pobres? os brancos ainda nos escravizam de um jeito que não nos é notado ou está tudo normal mesmo em igualdade?



Resposta:
Prezado Paulo Henrique, /.../ /.../ Em primeiro lugar, preciso pedir 2 meses de desculpas por só estar respondendo agora. /.../ São várias as intervenientes que interferem em nossas iniciativas que, muitas vezes, nos vemos impedidos de concretizar nossos fazeres. /.../ /.../ Sobre sua colocação: /.../ /.../ "O negro sofre preconceito?" /.../ Sim. /.../ E, além de sofrer "preconceito", sobre "discriminação". /.../ Pré-conceito é uma atitude de "conhecimento", ou melhor dizendo, uma atitude de ignorância (ignorar, desconhecer, não saber). /.../ O pré-conceito é um conceito (bom, ruim e etc.) formulado antes de qualquer reflexão. Se a pessoa teve uma experiência ruim com pessoa anã, ela "concluiu" que "não quero me relacionar com pessoa anã elas são isso e aqui..." /.../ Na vida do dia-a-dia, desde que nascemos, nos são entregues um grande número de preconceitos que vamos assimilando naturalmente, em casa, na escola (apesar de que a escola deve ser lugar de conhecimento, não de preconceito ou ignorância) através da propaganda, dos amigos enfim, de tudo e todos que nos rodeiam. /.../ /.../ O "racismo" é a exclusão de pessoas de determinada raça/etnia tomando-se "verdades" absolutamente errôneas, sem fundamento histórico, científico, sociológico. O racismo está ligado à exclusão de judeus (pelos nazistas), de indígenas (pelos europeus que invadiram as terras das Américas), de ciganos (em várias partes do mundo), de árabes, palestinos e tantos mais... /.../ Um tipo de "racismo", no Brasil, está ligada aos nordestinos e aos interioranos (matuto), além de indígenas e quilombolas. Sem esquecer o racismo estrutural de que sofre a população negra. /.../ /.../ Vale ressaltar que você não tem nada de que se desculpar. /.../ Quando você perguntou se o negro sofre racismo, você já sabia que eu iria responder "Sim. Então, pediu desculpas para ser gentil rs rs rs rs /.../ /.../ Você diz ser "pardo" e aí a gente já entra em um outro ponto do preconceito, do racismo: o colorismo. O colorismo trata das várias nuances de pele (negra) oriundos das diferentes miscigenações. Na sociedade racista, quanto mais claro, quanto mais clara, melhor se é aceito, aceita. /.../ Não conheço seu conhecimento musical, mas indico uma música escrita e interpretada por Nina Simone que tem o título de "Four Women" (Quatro Mulheres) onde ela descreve quatro tipos diferentes de cor de pele e a referência que a sociedade dá a cada uma delas. /.../ Caso não conheça, você pode acessar no YouTube. Caso não conheça inglês, você pode encontrar a letra e a tradução nos sites de música, tipo Letras.mus (acho que não cabe eu indicar a você sites de música rs rs rs rs ) /.../ Sim, sendo pardo, você tem características negras. /.../ Pelo fato de não sofrer preconceito, cumprimento você. Mas, ao mesmo tempo tenho dúvidas... /.../ Eu diria que você talvez não perceba. Desde criança sendo visto, referido, tratado de determinado modo, talvez possa ter naturalizado fatos e circunstâncias. O processo de "naturalização" do preconceito, da discriminação, da violência (incluindo a violência doméstica) também é outro ponto importante dos estudos sobre a questão racial, na Sociologia, na Antropologia, na Psicologia... /.../ /.../ Sobre "onde você vê que o negro sofre preconceito" /.../ Vejo que negros e negras sofrem preconceito/discriminação quando estou em visita a um amigo, em uma UTI de hospital: médicos brancos, fisioterapeutas brancas, chefia da enfermaria branca, corpo de enfermagem branco, corpo de auxiliar de enfermagem com negros e brancos... A baia ao lado esvaziou, o paciente foi para o quarto... O corpo da limpeza e higienização de negros. É a cor da pele marcando a escala hierárquica. E isso ocorre em praticamente em todas as estruturas das organizações. /.../ Onde eu vejo que o negro sofre preconceito: quando vou ao restaurante, a recepção me indica o andar de cima. Chego e tem apenas uma mesa vazia, mas ainda não arrumada. Há um balcão onde tem - do lado de fora, do lado de cá, um rapaz branco e uma moça negra (ambos de costas), eu chego para a moça negra e peço que arrume a mesa, por favor. "Mas... não entendi..." Poderia arrumar aquela mesa para mim, por favor? "Ah, entendi: a senhora está pensando que sou atendente. Desculpa, mas sou cliente e não vou poder ajudar." /.../ /.../ Hummm não sei se entendi sua pergunta "como se destacar ao ponto de ficarmos todos iguais aos brancos?" /.../ Para que o povo negro alcance a dignidade e o respeito em uma sociedade racista, é necessário, de um lado, (1) por parte de negros e familiares estudar e compreender a história do País para que tenhamos chegado onde chegamos. Com o conhecimento, adquirimos consciência consciência da situação. /.../ Por outro lado, (2) precisamos votar em quem tem compreensão das causas e das necessidades da população o Brasil é a 9ª economia mundial e metade dos domicílios não tem saneamento básico. O município do Rio de Janeiro fez um questionário com a população carioca com perguntas que buscavam a compreensão da ação das pessoas frente à pandemia da Covid-19 onde 30 dos bairros indicados eram "desconhecido" (qual a cor da pele das pessoas que "moram" nesses bairros?) /.../ É necessário (3) reivindicar através das associações, dos grupos organizados, de ONGs que estudam e trabalham na direção da igualdade racial, dignidade, igualdade de oportunidades, etc. /.../ /.../ Não é pelo fato de descendermos de negros que temos de ser pobres! /.../ A pobreza financeira do povo negro vem do fato de além de a escravidão ter arrancado o povo de África de sua terra natal, de suas regiões, de suas culturas e ter subjugado ao trabalho forçado, separados de seus familiares /.../ há o fato impressionante de a Lei abolicionista só ter dois artigos: Lei Áurea (Lei nº 3.353), que declara extinta a escravidão no Brasil. /.../ Art. 1°: É declarada extinta desde a data desta lei a escravidão no Brasil. /.../ Art. 2°: Revogam-se as disposições em contrário." /.../ /.../ O que isto quer dizer? /.../ Os escravizados estão libertos. /.../ E daí? Vão morar aonde? Vão viver de que? E mais questões que podemos colocar. /.../ /.../ Há uma "naturalização" no fato de os negras, ainda hoje, morarem em cortiços, favelas, alagados, subúrbios (veja que a palavra subúrbio tem um sentido também de exclusão). /.../ Nada é normal quando não há igualdade, Paulo Henrique. /.../ Nada é normal quando a saúde, a educação, a moradia, os meios de transporte, o acesso à cultura e ao lazer, aos bens de consumo são proibidos para a maioria da população. Maioria esta que é negra - de epiderme preta ou menos preta. São proibidos, sim... Com a falta de emprego, com a falta de oportunidade, com o salário e com os projetos políticos que temos no País, os bens da dignidade para que possamos assumir nosso direito de Ser inteiros nos são roubados. /.../ /.../ Vale ler bastante. Se precisar de bibliografia, por gentileza, retorne. Vamos refletir juntos. Da próxima vez, seu e-mail não vai ficar preso ou escondido por aqui. Ao dispor, Ana /.../