Afrodescendentes Online

Pergunta:
Egipicios, sudaneses, marroquinos, touaregs, beduinos, e todos ali da região do saara que estão aqui morando são considerados afrodescendentes?



Resposta:
Estimado Luiz Antonio, /// Sua questão identifica grupos geográficos do continente africano, especialmente "da região do Saara" e que, eventualmente, tenham vindo "morar" no Brasil. Mas quando o Movimento Negro trata de "afrodescendente", não trata de pessoas cujos antecedentes vieram "morar" no Brasil, mas dos descendentes dos povos africanos que foram subjugados pelo escravismo! /// Ser "afrodescendente" ou descendente de africana/o no Brasil não é uma questão de "geografia", mas uma questão de reflexão "política" conseqüente. É uma atitude de tomada de consciência contra uma mentalidade excludente que continua, até os dias de hoje, querendo impor ao povo negro (as/os afrodescendentes) uma condição menor, em função de uma suposta primazia dos brancos! /// Ser afrodescendente é superar os mais de 100 adjetivos que foram colocados para que as pessoas originárias dos/as escravos/as se identificassem (moreno, pardo, dentre tantos outros) na única direção de esconder sua origem. /// Luiz, você deve conhecer a máxima imperialista que informa que é preciso "dividir para reinar". E, apesar de ser mais de 50 da população brasileira, todo o vocabulário que foi criado para identificar as diferentes nuances de cor de pele dos descendentes de africanos que vieram para o país na condição de escravos, só serviu para confundir e até dividir o povo negro, dificultando sua organização, reivindicações e o cumprimento das Leis que temos para o desenvolvimento desses cidadãos. /// Na luta do Movimento Negro, a expressão afrodescendente é uma expressão recente, exatamente no sentido de aglutinar, acabando com as nuances de cor de pele e possibilitando uma tomada de atitude política na direção da superação das desigualdades impostas à população negra que não tem feito outra coisa senão atuar na construção desse país. /// Para mais fundamentação, vale consultar o texto de José Licínio Backes, "Articulando Raça e Classe: Efeitos para a Construção da Identidade Afrodescendente" - em http://www.scielo.br/pdf/es/v27n95/a06v2795.pdf /// Continuamos ao dispor, Ana